06/08/2017

11 semanas e 6 dias

Amanhã completo 12 semanas e vou contar pra algumas pessoas sobre a gestação. Até agora só família próxima (pais e irmãos) e amigos beeem íntimos sabem.

Minha mãe está doida pra contar, minha sogra enlouquecida pra falar pra todo mundo e meu marido se coçando! Rs... Ontem abriu pra um amigão, que ficou extremamente feliz.

Mas a questão é que não me sinto feliz e segura pra contar.

Todo mundo diz que a gestação é um momento lindo e até agora eu não consegui enxergar essa beleza toda.

Sangrei até quase 10 semanas, depois tive um sangramento leve há uma semana, então o medo me domina.

E com 7 semanas comecei com náuseas e uma indigestão absurda. Se não comia, tinha náuseas, mas se comia, passava mal me sentindo cheia como se tivesse comido 2 pratos de feijoada. Com o passar da semana, a indigestão melhorou parcialmente (ainda tenho, mas de 2 pratos, passou pra 1 prato de feijoada!), porém a náusea se transformou em vômitos.

Não consegui determinar um padrão e nem situações que melhoram ou pioram os sintomas.
Alguns dias acordo mal e vomito sem ter ingerido nada! Alguns dias vomito logo após ingerir o primeiro copo de suco do dia e outros só depois do almoço ou do jantar. Outros dias passo mal após todas as refeições e literalmente acabo morrendo de fome. Se não como passo mal, mas se como fico pior ainda!

Meu marido no início era beeem chato sobre medicação. Cada vez que me via tomando alguma coisa, chiava e dizia que as mulheres que ele conversou não tomam nada por fazer mal ao bebê (ele tem muitas funcionárias mulheres onde trabalha)... Eu vivia mal, evitando medicações (1 vonau ao dia no máximo) e com peso na consciência por tomar.

Com o tempo ele parou de me encher o saco. Percebeu que não estava bem, me viu vomitando várias vezes ao dia e conseguiu ficar quieto.

Mas a verdade é que nada nada melhora. Sinto muita dor no estômago (que não é azia), preciso comer a cada duas horas (mas a maioria das coisas não "cai bem"). tenho muita náusea e os vômitos acabam comigo. O efeito do vonau dura 1h, o dramin não melhora nada e me dá um sono horrível e o meclin tomei ontem pela primeira vez e não adiantou nada.

Vários dias eu chorei sentada no chão do banheiro. Eu quero curtir esse momento, mas entre sangramentos e vômitos, ainda não consegui. É triste gente, mas só aqui consigo ser sincera comigo mesma. Amo muito minha filha e agradeço a Deus todos os dias pela sua existência, mas não me sinto feliz nessa etapa da minha gestação.

Com 10 semanas tive dois dias "de folga" e fiquei ao mesmo tempo feliz e insegura, pois achei cedo para os sintomas diminuirem. Mas logo depois tudo voltou, pior do que antes.
Com 11 semanas, melhorou um pouco. Tenho 1 dia de folga e volto a passar mal. Sexta estava relativamente bem, sábado passei o dia no banheiro e hoje fiquei bem, um dos melhores dias.
Saí de casa pela primeira vez (antes só saí pra exames, US e alguns compromissos como renovar o passaporte). Fomos comer no shopping e tudo desceu tãaao gostoso! Claro que estou até agora (faz 4 horas) me sentindo cheia, a barriga bem estufada, mas graças a Deus, nada de náuseas ou vômitos.

Amanhã volto para o trabalho.
Vou começar bem devagar, poucos pacientes por dia, até me sentir bem e confiante de novo.


Ah! Essa semana fizemos a translucência nucal. Eu não estava muito preocupada, pois por termos feito a biópsia embrionária, o risco de Síndromes como Down é mínima. Minha preocupação maior era ter certeza de que ela estava lá, perfeita e com o coração batendo. E estava! Meu marido não consegue me acompanhar em muitos exames, mas neste ele foi e é liiindo ver o quanto ele se emociona.

Se eu posso tirar algo bom de todo esse processo, foi a certeza do quão forte é meu relacionamento, do amor que temos um pelo outro. Amo meu marido com todo meu coração e mesmo com diferenças e problemas, me sinto extremamente amada.

Um beijo,


23/07/2017

Quanto tempo!

Acho que faz praticamente 2 meses que não dou sinal de vida.

É que foi tudo tão difícil e tão complicado, que sentia zero vontade ou coragem de contar por aqui.
Hoje, apesar de tudo muito incerto ainda, me sinto um pouco menos em pânico e a vontade de escrever surgiu.


A Transferência
Dia 02 de junho foi a minha transferência. Foi um dia super tranquilo, eu e o marido estávamos em paz como nunca havia sentido antes. Durou uns 5 minutos no máximo!
Como da primeira vez bebi muuuuita água e o pós foi horrível, dessa vez optei por beber o suficiente pra ter vontade de ir no banheiro, sem estar apertada. Funcionou.
Consegui segurar por 45 minutos após antes de levantar pra fazer xixi. Me deixou mais calma, porque a sensação é que o embrião vai vazar!

Voltamos para o apartamento em que estávamos hospedados e fiquei em repouso absoluto por 24 horas e repouso quase absoluto por mais 24! No primeiro dia nem banho tomei. Sentei apenas pra fazer xixi e comer. No segundo dia ainda tomei banho sentada! Pode dizer que é exagero, mas na primeira tentativa fiz ZERO repouso (zero mesmo!!) e não deu certo, então prometi pra mim mesma que faria diferente nessa tentativa.

O tempo de espera
Desde o D0 tive cólicas. Leves, não precisaria nem tomar remédio pelo incômodo, mas minha médica orientou buscopan de 6/6h e assim eu fiz.
Voltamos de carro para minha cidade no D2, mas vim deitadinha no carro.
Permaneci em repouso relativo em casa no D3 e voltei a trabalhar no D4.

E aí... A surpresa. Eu tenho um milhão de testes de gravidez que comprei no ebay com sensibilidade de 10. E no D5 positivou!! Beeem fraquinho (vou mostrar a foto), mas estava ali. Final do dia fiz um digital e estava lá: grávida 1-2 semanas. Impressionante.

O problema é que isso não me acalmou. Só me deixou mais nervosa ainda.
D6 mais escuro... Fiz um beta (a louca, eu sei!!) - 33. Não encanei com  valor porque ainda era cedo, tudo ok.
D7 mais escuro...
E aí, comecei a sangrar. Inicialmente pensei - ah, é só nidação.
Mas o sangramento aumentou, se tornou vermelho vivo em grande quantidade, de pingar no vaso sempre que fazia xixi.
Eu chorei um dia inteirinho. Chorei muito, tive certeza mil vezes de que meu sonho havia acabado ali, sem entender muito bem porque.
Minha médica aumentou a progestrona, orientou repouso absoluto e colher beta, progesterona e estradiol no D8.
E assim eu fiz. E pra minha surpresa, o beta aumentou muito! De 33, passou pra 88!! Ou seja, estava tudo evoluindo ainda...
Com os dias o sangramento reduziu, se tornou marrom, até parar.
Mas, como nada pode ser muito bom ou muito simples comigo, meus betas não evoluíram como o esperado:
D 6- 33
D8 - 88
D10 - 171
D12 - 296
D15 - 711
Se prestar atenção, verá que tirando em D8, ele nunca dobrou em 48h. Dobrava em 50 e poucas horas, um aumento próximo de 80% em 48h.
Li tudo que vocês puderem imaginar - me convenci que era ectópica (sempre senti mais dor do lado esquerdo), depois anembrionária, depois que simplesmente não iria evoluir.


O Acidente
10 dias depois desse sangramento, voltei a trabalhar.
Primeiro dia, normal.
Segundo dia, sofri um acidente na estrada - rodei na pista e cai na valeta lateral... Primeira coisa que pensei foi: acabou.
Fui correndo fazer um US e o colo estava fechado, saco gestacional no lugar. Mas umas 8h depois, comecei a sangrar. Muito.
E assim foi. Sangrava 24 horas, melhorava por uns 3 dias (reduzia fluxo e ficava marrom) e quando achava que iria parar, voltava a sangrar muito, vermelho vivo. Poucas vezes tinha coágulos, e nessas, meu desespero era maior ainda.

Eu chorei por uma vida inteira durante as últimas semanas.

Os US
Nesse período, vivi a saga dos US.
O primeiro com 5s1d - saco gestacional tópico.
5s 3 dias - saco gestacional, vesícula, embrião.
6s 1d - Embrião com BCF! Isso não me emocionou - juro, eu estava tão apreensiva que achei o BCF meio lento, apesar da médica dizer que estava tudo normal. Porém com descolamento do saco gestacional, de 20% aproximadamente, que deveria ser a causa do sangramento.
7s 1d - Tudo ok, idade gestacional compatível, BCF adequado, porém com 2 áreas de descolamento, pequenas, mas consideráveis. Passei a usar Dactil OB (meu obstetra daqui passou, a médica da FIV disse só repouso) 6/6h.
8 s 2 d - Primeira vez que o marido foi junto. Tudo ok, idade gestacional compatível, BCF perfeito, redução considerável do descolamento! Porém, continuei a ter sangramentos, mas menos volumosos, após evacuar principalmente.
9 sem e 3 dias - Sem descolamento, bebezinha perfeita!

Hoje faz exatos 3 dias que não sangro. Motivo de comemoração, acho que desde o início, foi o máximo de tempo que fiquei.


Amanhã completo 10 semanas.
Muitos sintomas, mas isso conto em outro post, esse aqui ficou gigantesco.

O resumo disso tudo é - mesmo quando tudo parece estar desmoronando, pode ser que ainda tenha sobreviventes embaixo da montanha de entulhos. Dê uma chance e continue procurando.

Um beijo,



29/05/2017

Enfim, eu voltei.

E o tratamento também.

Demorei um tempo longo pra ter vontade e coragem de escrever.

E também porque a vida estava parada.

Meu ciclo durou cerca de 50 dias. Ovulei tardio, mas umas duas semanas depois, a menstruação veio. Claro que sempre tenho esperança de que ela não venha (e que não seja uma menopausa precoce), mas dessa vez, o aparecimento dela foi motivo de comemoração. Poderia, enfim, recomeçar a tentativa de preparo do endométrio.
No 2o dia do ciclo, fiz meus exames laboratoriais e um US. Pra minha infeliz surpresa, minha progesterona ainda estava alta (3,8) e o US mostrava um corpo lúteo ativo, vascularizado, um tanto incompatível pra um fluxo bem intenso. Cheguei a pensar em gestação, mas o teste de gravidez excluiu essa possibilidade. Melhor assim, se fosse positivo, seria certamente um aborto em evolução.

Tentei não me abalar e repeti os exames no 3o dia. Aí sim, tudo bonitinho. Progesterona 0,7 e tudo pronto pra iniciar as medicações.

Protocolo atual: valerato de estradiol, AAS, pentoxifilina.
No 9o dia, fiz um US em outra cidade, com um médico não muito atencioso, que disse que meu endométrio estava em 4,9. Triste, mas mais uma vez, tentei não me abalar, ainda tinha chance de crescer e não confiei muito nesse resultado. Na imagem ele estava bonito, gordinho, trilaminar, então, ainda havia esperança.
Acrescentei estradot ao protocolo, por orientação da minha médica.

No 10o dia do ciclo, fui pra SP fazer a aplicação do PRP (que comentei no post anterior). Pra minha (feliz!) surpresa, o endométrio havia dado um salto em 1 dia - passou para 6,2mm. Não é láaaa grande coisa, mas motivo de comemoração pra mim, porque na outra tentativa, ele empacou em 5,8-5,9mm.

Mantive as medicações e voltei na sexta, dia 26, para a segunda aplicação do PRP. Um novo US e: ENDOMÉTRIO COM 7MM!! Lindo que só vendo... Isso antes de fazer a segunda aplicação, ou seja, ainda com chance de crescer mais um pouquinho.

Me senti vitoriosa, quase como se tivesse um positivo em mãos. Pra algumas meninas pode não ser nada, mas pra mim, cada etapa é uma vitória, porque foi mais um passo dado (e todos os meus caminhos tem um milhão de pedras no meio, nunca é simples).

Ontem, iniciei a progesterona. Iniciei também clexane e prednisona. (tenho mutação heterozigota mthfr e optamos por usar clexane mesmo assim e a prednisona é para evitar qualquer "ataque" ao embrião como corpo estranho).

Transferência marcada para sexta.
E assim eu sigo, esperançosa. Não sei qual será minha reação se não der certo (tenho muito medo dela - da minha reação), mas no momento, tenho uma sensação boa quando penso no meu embriãozinho. Minha menina no meu ventre, é tudo que eu sempre sonhei.

Mando notícias (boas ou ruins) mais pra frente.
Um beijo,


03/05/2017

Atualizando

Não tenho novidades.
Como contei no último post, a primeira tentativa de preparar o endométrio foi bem frustrada.

Tirei férias em abril, então não pude recomeçar.
Passei esse mês todo pesquisando novas opções.

E acrescentei a minha vida:
- Maca peruana
- Elixir de Inhame
- Geléia real

Não que eu acredite que isso seja capaz de fazer milagres, mas não custa tentar. Na verdade, até custa, porque a geléia real foi uma das piores coisas que já tomei na vida, o gosto é horrível! Na minha cidade só tinha a opção in natura, que vai na geladeira, não encontrei em cápsulas. Uma amiga deu a dica de colocar mel junto, que ameniza um pouco.

Também andei pesquisando sobre a possibilidade de fazer aplicação de Plasma Rico em Plaquetas diretamente no endométrio. Descobri um médico em SP que faz, questionei minha médica (que não faz) e ela entrou em contato com esse outro médico...
Acabei marcando uma consulta, fiz um bate e volta para SP ontem.
Tirando o atraso de 3 horas (que por sorte, já estava preparada para que acontecesse), eu gostei dele. Pretendo fazer o tratamento, que é experimental.

Não é garantia de nada, mas ruim já está, o máximo que pode acontecer é continuar assim.
São duas aplicações, no 8o e 10o dia do ciclo, mas eu conto mais depois que fizer.

Esse mês meu ciclo desregulou todo. Acho que é por causa do estradiol injetável, que li que tem meia vida de 50 dias.
Ainda não ovulei e estou no 31o dia do ciclo! Mas estou com um folículo bem grande e o teste de LH positivou na segunda feira.
Meu endométrio está com 4mm, não está trilaminar, então mesmo que ovule, não existe a menor chance de engravidar naturalmente, Eu tento, a esperança sempre existe, mas a vida real, os exames e tudo mais, me mostram dia após dia que são tentativas em vão.

Agora é esperar os dias passarem, pra recomeçar.


13/04/2017

Sem novidades

Sumi por um tempo, porque raramente tenho coisas boas para contar e acabo achando chato falar sempre as mesmas coisas.

Levo isso pra vida real também e por esse motivo, não procuro minhas amigas e tenho até preguiça de responder mensagens quando alguma delas me procura. Pra que? Dizer que está tudo igual, que continuo sofrendo, que não estou grávida? Prefiro me manter quieta.

Pois bem, acho que já disse tudo. Não estou grávida.

Na verdade, ainda não consegui transferir meu único embrião.
Mês passado tentei preparar o endométrio - usei estradiol injetável, estradiol adesivo, cialis (parente do viagra) e também AAS. Engordei, inchei, meus peitos passaram um mês sensíveis e doloridos ao extremo, mas meu endométrio foi o único que não se sensibilizou aos efeitos do estradiol e não espessou.

Chegou a 5,8mm, trilaminar e simplesmente não evoluiu mais. Passou a 5,9, praticamente 6mm, porém já não estava nem trilaminar mais. 18 dias de medicação.

Foi triste. Frustrante, desanimador.
A sensação que eu tenho é que todo meu trato reprodutor é defeituoso. Meus ovários não produzem folículos o suficiente, minhas trompas não funcionam como o trajeto que deveriam ser, meu útero não fica bom para abrigar um embrião. E aí vem a dúvida: será que isso não é uma forma de me mostrar que eu estou forçando a barra? Que a vida tem me dado todos os motivos pra desistir, pra me mostrar que não vai dar certo e só eu não enxergo isso?

Fui viajar com o marido, dar uma relaxada. Acabei menstruando no meio da viagem, então não tinha como fazer exames e nem começar as medicações.

Então, agora é contagem regressiva pra data da próxima menstruação, pra mais uma vez, tentar ir contra toda a força da natureza e tentar realizar o sonho de ser mãe.

14/03/2017

Ainda sem grandes novidades

Tive uma boa semana.
Cheia de esperança.

Sei que tudo pode dar errado, mas sei que dessa vez, a chance maior é que dê certo. Não por mim, mas pelas estatísticas mesmo. Achei alguns artigos que dizem próximo de 60-65% de chance de gravidez com um embrião testado, mas também achei relatos em que os médicos e as clínicas dão de 75-85% de chance de sucesso... Que seja 60%, ainda quer dizer que a maior chance é de dar certo e é a primeira vez na vida que vivo isso.

Se der errado, eu volto a chorar. Mas também sei que não consigo controlar isso e o sofrimento será exatamente o mesmo se eu ficar positiva hoje ou se já acreditar que vai dar errado. Meu tombo será enorme dos dois jeitos, então, estou curtindo viver alguns dias em paz, acreditando que algo pode dar certo na minha vida.

Meu embriãozinho tem nome e duas irmãzinhas de 4 patas loucas pra conhecê-la.

Ainda estou na fase de preparo do endométrio, com injeções no bumbum a cada 3 dias e comprimidos via oral e vaginal diariamente. Ainda não repeti o US para avaliar o crescimento do endométrio, está marcado para amanhã.

Mas minha menstruação acabou em 4 dias, quando dura sempre entre 5-6 dias, com períodos até mais prolongados. Meus seios estão doloridos, me sinto levemente inchada, acho que o estradiol está fazendo efeito em tudo, só torço que também esteja conseguindo agir no meu endométrio!

Volto pra contar notícias depois.

08/03/2017

Boas novas

Hoje, pela primeira vez acho que desde que esse blog existe, venho dar boas notícias.

As meninas que me acompanham já sabem - não aguentei e contei na resposta de um comentário...

Na segunda feira, chorei sem parar. Realmente disse a Deus que desistia de qualquer coisa e me entregava por completo para que Ele curasse a minha dor.

Terça pela manhã, estava em casa de folga, pesquisando passagens para as férias. E me ligam restrito - já sei que é da Huntington.
O tom de voz era bom.
E aí veio a melhor notícia dos últimos tempos: meu lindo blasto, perfeitinho por fora, foi aprovado! Geneticamente normal!
Depois de uma indução difícil, dias sem esperança, recebo essa notícia tão linda!

E mais uma notícia que eu estranhei, mas trouxe mais emoção ainda: meu bebezinho (porque pra mim, embrião já é vida!) é menina!!

O mais impressionante, é que apesar de eu sempre dizer que teria meninos, semana passada acordei com um nome de menina na cabeça e disse pro marido "sei que será menino, mas se um dia tivermos uma menina, gostei desse nome..." e ele concordou, falou que achava bonito e ponto.

Então nossa menininha já tem nome e amor de sobra antes de existir.

Coincidentemente menstruei ontem! Já fiz exames de sangue e hoje à tarde um US para iniciar o preparo pra TEC. Espero que corra tudo bem.
Meu preparo será intenso! Não respondo a primogyna, então usarei AAS, Cialis via vaginal e valerato de estradiol intramuscular!! (ai!).

E Deus, meu coração continua entregue e confiarei até o último minuto.


06/03/2017

Uma noite, durante uma célula que eu frequentava na época da minha 1a FIV, eu tive uma crise incontrolável de choro.
E quem me conhece sabe, eu não choro em público.
Mas não sei o que houve, uma tristeza tão grande chegou no meu peito e me fez chorar compulsivamente. Não consegui parar, não tive controle.
Fui embora pra casa.

Eu chorava porque tinha muito medo de que a vontade de Deus não fosse a mesma que a minha. Acho que porque sentia que não seria.

E hoje, em mais um dia de espera pra saber se meu único embriãozinho passou pela análise, eu me vi assim. Com uma vontade imensa de chorar sem parar. A mesma tristeza infitina, o mesmo medo de não ser a vontade de Deus.

Quero dizer pra Deus, se ele não me ouve enquanto eu falo, que eu me entrego. Que entrego todo meu coração, porque não aguento mais esse sofrimento todo.
Meu coração dói a cada segundo que eu vivo.

Senhor, eu imploro. Me permita parar de sofrer, me deixe ser mãe.

01/03/2017

E o medo domina...

Minha punção foi na quarta feira pela manhã.
4 óvulos maduros.
Foi super tranquila. Eles orientam que se faça repouso o resto do dia, mas eu estava tão cansada de não fazer praticamente nada (já estava a semana toda em SP nesse esquema), que quis aproveitar pra passear um pouco com o marido.
Fomos ao shopping, olhamos algumas coisas e almoçamos por lá.
Não senti nada, o dia todo. A barriga inchou mais no final do dia, mas no dia seguinte já estava praticamente normal.

O HCG do Ovidrel também não me causou nenhum efeito colateral. Apenas algumas espinhas a mais. Não inchei, não ganhei peso, meus seios não doeram. Foi tudo infinitamente mais simples e meu corpo reagiu muito melhor do que na primeira FIV.

Só o resultado que não foi melhor. Até agora.

4 maduros. 24 horas de tensão: 3 fertilizaram. 48h de tensão: 2 desenvolveram bem em D3. 48h de muito estresse, acordando de hora em hora esperando o telefone tocar. Apenas 1 embrião se desenvolveu.

Ok, a embriologista tentou me animar: ótima qualidade, um blastocisto 4AA, perfeito. 
Já foi biopsiado e enviaram as células para análise.
E agora, tenho mais 7-10 dias nessa dúvida, esse medo cruel do meu único embrião não ser aprovado.

E aí, meu sonho do filho com a minha carinha, acaba.
Não tenho condições emocionais de fazer várias induções pra conseguir um ou dois embriões bons. Não sei como algumas meninas aguentam, mas pra mim, cada tentativa são dias e dias de sofrimento. 

Agora é esperar.
Se tudo der errado, juntar os pedacinhos do meu coração, que certamente estará despedaçado e recomeçar, com a opção da ovorecepção.
Mas até lá, vou rezar todo os dias pra que o JL (sim, tem nome, e a gente já tem certeza que é menino! rs...) seja forte, guerreiro, e queira muito nascer no meu ventre.

Logo trago mais notícias.
Um beijo,

21/02/2017

Na espera

Estou no sala de espera do consultório da minha médica. Reta final da indução, estou acompanhando com US diariamente e a punção deve ser na 5a feira.
Tudo correndo como o esperado. Que talvez seja o problema maior, porque o esperado era ruim.
No 2o US, a radiologista viu que apenas 4 foliculos estavam crescendo bem e mais 2 pequenos, que provavelmente não acompanhariam. E não acompanharam. Hoje, estou no 12o dia de induçao, com apenas 4 folículos.

Confesso que estou sem expectativa nenhuma.
No dia do 2o US, tive a sensação de que a minha chance já tinha acabado. Chorei 24h, chorei entre um paciente e outro, chorei muito sozinha na minha casa. 4 folículos é muito pouco.

Sei que eu preciso "só de um", mas no meu caso, devido ao mosaico, preciso de 1 blastocisto que passe por pgd e seja perfeito. Ou seja, é um caminho bem dificil de fazer.

Eu decidi que essa será a 2a e última tentativa de conseguir com meus óvulos. E se não der, parto pra ovodoação.

Não sei se estou preparada, mas simplesmente não dou conta de tanta tristeza e tantas frustrações. Eu quero muito ser mãr e viver essa dúvida está acabando comigo e me tornando uma pessoa muito infeliz.

Não sei o que esperar. Também não consigo mais implorar a Deus, porque Ele sabe dos desejos mais profundos do meu coração, mas também sei que Ele só faz as coisas no Seu tempo, que infelizmente é diferente do meu.

Mando notícias.
Um beijo e um bom carnaval a todos!

13/02/2017

Notícias

Até que enfim, deu certo de começar o tratamento.

Lógico que não poderia ser de forma muito calma e simples, porque daí seria outra pessoa.

Resuminho:

Tomei anticoncepcional por 20 dias. Parei 1 dia antes na certela, porque esperava menstruar na terça dia 07, o que não aconteceu. Menstruei na quarta, dia 08.

Dia 09 colhi meus exames - lindos!! Primeira vez na história que fiquei emocionada com o resultado de um exame: FSH 5,52 (menor da vida), LH 4, 56, estradiol 6,69 e progesterona de 0,41. Aco fez efeito!

Um dia por semana eu fico 13 horas em outra cidade, que por acaso, foi no segundo dia do ciclo! (Por isso torcia pra menstruar um dia antes...) Então, só consegui colher os exames às 6h da manhã e esperar ansiosamente o dia todo por eles...

Marquei o US pro dia 10, 3o DC.
Fiz com o mesmo médico que tenho feito todos os US, porque é mais fácil não ter que explicar a minha história todas as vezes.
Das últimas vezes, senti ele meio sem paciência, e até meio grosseiro, mas eu também estava meio sensível... O importante é que seja bom tecnicamente, então continuei com ele.
Só que ele fez meu exame em 5 minutos, não procurou os folículos, não me falou uma palavra. SEnti que foi "meia boca", mal feito mesmo.
Resultado? 5 antrais! Frustrante, ainda mais que no mês anterior tive 9.

Quis cancelar o ciclo, mas minha médica achou melhor não, porque meu FSH estava muito bom.

Optei por repetir o US com outra médica, que foi ótimo. 7 antrais (com possibilidade de mais) e fui bem tratada... Marquei os próximos com ela. Ufa!

E então, dia 10, no 3o DC, eu iniciei meu 2o tratamento. 300U de menopur + 100 mg de clomid.
Hoje será o 4o dia.

Estou relativamente calma.  A verdade é que não consigo ter esperanças, mas ao mesmo tempo não deixo de ter.

Perguntei pro meu marido se ele acredita que vai dar certo e ele disse que tem certeza.
Eu não consigo sentir nada, nem bom e nem ruim. Talvez seja melhor assim.

Farei os US dessa semana por aqui, e sábado pretendo ir pra SP.
Torçam por mim.


28/01/2017

E mais uma vez, os planos não deram certo.

Quando procurei a Dra. Daniella no início de dezembro, tinha esperança de começar a induzir ainda naquele mês. Não deu certo, foi um pouco frustrante, mas eu sabia que existia essa possibilidade.

Me programei direitinho, marquei todas as datas, troquei dias no trabalho, pra então, recomeçar em janeiro.
Só que como diz meu marido se eu planejei, provavelmente não vai acontecer.

No 3o dia do ciclo, fiz um US e os exames laboratoriais. O US foi bom e ruim ao mesmo tempo: 9 folículos antrais (o bom) e um cisto folicular de 24mm (o ruim).
Esse cisto poderia ser só um achado e ignorado, se ele não fosse responsável por explodir com o meu estradiol. De todas as vezes que dosei meus hormônios, nunca tive um resultado assim: estradiol 427. LH tbém estava aumentado, FSH 6 e pouquinho e progesterona 1,3.

Ou seja, nada ideal pra começar a indução.

Confesso que nos primeiros dias eu fiquei muito triste. Eu me organizei, programei a minha vida, fiz cronograma e contei os dias pra chegar essa nova indução.
Não deu certo.

A orientação foi iniciar anticoncepcional e ao final, quando a menstruação vier, repetir US e exames pra ver se normalizou. Se sim, aí um novo ciclo se inicia.

Isso já faz praticamente 2 semanas. Faltam 8 comprimidos na cartelinha do anticoncepcional, então em mais ou menos 10-11 dias eu menstruo. Mais uns 2 dias repito tudo e espero do fundo do coração que tudo tenha normalizado e eu possa recomeçar a FIV.


Me afastei um pouco da igreja, não tenho ido à celula. Mas isso não quer dizer que deixei de acreditar em Deus, só que nesse momento preciso desse tempo.
Continuo indo à psicóloga e acho que tem sido uma boa ajuda.
Essa semana comecei uma dieta, não para perda de peso, mas pra tentar ficar mais saudável. Deu muito resultado com uma Fivete que conheço, então resolvi arriscar. É difícil, mas é por um bem maior!

Um beijo,



04/01/2017

A mulher invisível

Ontem em mais uma conversa com a minha psicóloga, tentei explicar porque não consigo me abrir e desabafar com ninguém.

O fato é que nós, mulheres inférteis, somos praticamente invisíveis à população.
O primeiro motivo é que somos uma parcela muito pequena das mulheres e minorias costumam ser esquecidas.
O segundo motivo é que é algo tão fora do comum, que as pessoas simplesmente não conseguem entender a dor que isso causa. Cansei de ouvir todos os tipos de clichês como "é só relaxar que acontece", "faça uma viagem com o seu marido, para de pensar nisso".

Cansei de escutar que minha vida é boa demais e eu preciso focar em tudo de maravilhoso que Deus me deu e não só no que eu não tenho.
Escutei de uma pessoa até que bem legal que "ter filhos nem é tudo isso" - mas ela teve dois!
Outros dizem que é "tudo na hora de Deus".

Eu opto por não compartilhar meus sentimentos com muita gente. Tenho vergonha, me sinto vulnerável (no sentido ruim da palavra), exposta. Mas as vezes que tentei, também não deram muito certo. Ninguém entende. Acham que é bobagem, que é simples, que é drama. Que não tenho tantos motivos assim para sofrer desse jeito.
E daí, esquecem.

Me afastei do mundo. E em todas as vezes que considerei me reaproximar, me frustrei.
Há exatamente 1 mês, eu contei sobre a minha saga da adoção e que provavelmente tentaria nova FIV para duas amigas.
Ficou nisso. Nenhuma delas sequer tocou no assunto ou me perguntou se eu estou bem depois disso.
Claro que não estou, mas não vou pedir ajuda pra quem nunca ofereceu. Elas estão vivendo outro momento - uma com filho pequeno e a outra grávida e meu sofrimento é desagradável demais para esse momento de felicidade que elas vivem.

Ou seja, estou completamente sozinha nessa. Cada dia mais.